@ papelada

@ Outubro 2009

@ Setembro 2009

@ Agosto 2009

@ Julho 2009

@ Junho 2009

@ Maio 2009

@ Abril 2009

@ pesquizadela
 
@ fresquinho

@ Baio Baio.

@ NERVOS

@ Changing live feels so go...

@ Before Sunrise.

@ Idolos, antro de parolos,...

@ Au Revoir Simone Again.

@ Xilme.

@ Eme Gê Eme Tê

@ oiiii!! hihihi :p

@ Inéz homes.

@ linkis
@ calendário
@ muláncia
Domingo, 7 de Junho de 2009
Antes e Após a Espera.

- Tás acordado?

- Acordado não, estou abordada.

- Abordada? Vai ao Delirante.

- Acabei agora de desligar o portátil, é sobre quê?

- Tens de ir.

- Ok eu vou, é sobre quê?

- Vê.

- Ok, espera então.

Eu fui ler:

"TANTO

 

não cabe em palavras que a tinta deixa escorrer

 

TANTO

 

ar de que se enchem os pulmões em busca de fibra que fizesse jus ao

 

TANTO

 

que carrego, quero solfejá-lo, quero ardê-lo, quero personificá-lo

 

TANTO

 

é o que oiço para vanguardar baladas soadas em memórias arrastadas

 

TANTO

 

é o

 

TANTO

 

que sou, tento ser, sinto, quero sentir.

 

 

 

 

 

a impotência de mim, a minha impotência,

como se gastam as palavras, como se gastam."

 

 

E disse:

- ?! :O explica agora!

- Leste o tanto?

- Li, está fenomenal!

- ESPERAS 10 min?

- Com o Pc ligado?

- Sim.

- Ok.

- Vale a pena.

- Ok.

- Vai agora.

Fui e li:

 

"Se verificarem datas respectivamente, hoje entupira-me de mim. Preciosismos, maneirismos e minorias foram, em apuro de grande escala, retaliados em benefício meu, malefício ora de outros.

 

Não o sou, sou-o só e apenas. Público, que seja eu aos vossos olhos, de mim eu seja.

De quem preciso eu quando falo de prevalecer.

Não é este exterior, pois sei, ainda em consideração (oh que seja esta falsífica!) que só de mim preciso de, para eu ser, ser eu.

Escrevo lágrimas, esboços sorrisos. Finalidade própria de espera quotidiana.

Eu espero, e espero, espero.

Espero-me em encruzilhadas que só eu, de mim espero ver-me esperar.

 

FIM, embora nunca o haja, ou espero eu que tal."

FAIXA 04

 

Depois da leitura disse:

- Esperas uma vida até deixar de poder avaliar aquilo que escreves como um marco de irregularidade incondicional perante a funcionalidade incondicional perante a funcionalidade mental  das nossas pessoas? Amei

- Manda outra vez, não recebi tudo.

- Esperas uma vida até deixar de poder avaliar aquilo que escreves como um marco de irregularidade incondicional perante a funcionalidade incondicional perante a funcionalidade mental  das nossas pessoas? Amei

- Amaste?

- Sim, é tudo aquilo que eu estava à espera que escrevesses. Amei por ti, por conseguires fazer coisas deste nível.

- Nem sabes o quanto que significa.

- O texto?

- Tu achares isso do texto.

- Achei e não é só para dar azo a que fiques com o nariz para cima. Achei porque achei, e porque compreendi, li-o prai umas 3 vezes. O tanto não é nada ao lado do tanto que esperas...

- Surpreendes-me.

- Eu? Nada a ver com aquilo que acabei de ler num mero blog.

- Mais até. Sabes a faixa 4?

- Exacto. Amelie?

- Sim, Amelie.

- Vi logo!

- :)

- Boa Noite <3.

- Boa Noite.

 

Eram 2:10 a.m.

 

See you,

Zirtaeb.

 

 

publicado por (nickanome) às 14:27
linki | manda aí um bitaite | gostaste foi?